Inovação

Dia Mundial da Propriedade Intelectual

26/04/2022

3 minutos de leitura

93 visualizações

inova

Compartilhe:

Você sabia que dia 26 de abril é o dia mundial da Propriedade Interlectual? E esse data foi escolhida justamente porque coincide com a data em que a convenção que Instituiu a Organização Mundial da Propriedade Intelectual entrou em vigor em 1970.

E claro que eu não poderia deixar esse dia passar em branco. Para isso convidei meu colega de Tupy, Daniel Moraes, Gerente de Inovação e Transformação Digital para compartilhar conosco a sua visão sobre essa importante ferramenta para projetos de Inovação.

 

Diferentes formas de inovar necessitam de múltiplas opções para preservar a propriedade intelectual , por Daniel Moraes.

 

Inovar é uma necessidade constante para todas as organizações modernas. O mecanismo adequado aliado a uma boa estratégia de Propriedade Intelectual (PI) continua sendo a opção correta para proteger essas inovações.  

No contexto da indústria, há vários elementos de proteção que podem e devem ser adotados na criação de uma boa estratégia de proteção. A patente acaba sendo o mecanismo mais conhecido, mas, é apenas um deles e possui um fim específico: proteger uma invenção (produto ou processo) que fornece uma nova forma de fazer algo ou uma nova solução técnica para um problema.  Sempre importante lembrar que, para obter uma patente, é necessário divulgar no pedido a invenção que será protegida e isso faz com que ela se torne pública.  

Porém, há formas adicionais de protegermos uma propriedade intelectual. Por exemplo, no caso de uma obra literária, os direitos autorais são os mais usuais. Pensando em uma marca, o registro desta. Se falarmos em design, recomenda-se o uso de segredos industriais e comerciais, considerando que a possibilidade de cópia do desenho é grande. 

Ao considerar todos esses formatos é que muitas indústrias de tecnologia utilizam uma estratégia de Propriedade Intelectual mais ampla, em que as patentes também fazem parte, mas são complementadas por registros de marca, desenho industrial e/ou segredos industriais e comerciais.  

A Tupy é um exemplo interessante de como uma empresa de tecnologia constrói sua estratégia de Propriedade Intelectual e possui semelhanças com a indústria de software. Na metalurgia, em vez de proteger linhas de códigos, estamos falando da proteção de uma série de composições químicas de ligas, processos industriais específicos, métodos de medição, correção de composição, softwares específicos de controle, desenhos, especificações, itens de controle etc. Não é trivial desenvolver metalurgia avançada em larga escala. Todas essas propriedades intelectuais são importantes e habilitam o conhecimento da Tupy materializado em suas soluções e, por esta razão, precisam ser protegidas de forma adequada. Para a nossa indústria, a principal forma de proteger nossa PI é o segredo industrial e/ou comercial. 

Portanto, inovar sem proteger as propriedades intelectuais é um risco muito elevado. Uma visão mais ampla de inovação é desenvolvida considerando o ambiente de negócios, aliada a uma estratégia madura de Propriedade Intelectual. Esse é o caminho para que as inovações, futuramente, possam gerar valor para seus criadores, alicerçadas na segurança de um sistema robusto de PI.  

 

Espero que tenham gostado desse conteúdo. E não esquece de compartilhar nosso post nas suas redes!

inova

Compartilhe: